quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Superman e Lois

video 
Uma das cenas de filmes inesquecíveis para mim
Este foi um dos primeiros filmes que vi no cinema (sou do século passado!). E esta cena emocionou todo mundo no antigo Cine Excelsior de minha cidade! Nunca esqueci a cena, os atores e o filme...
Vale a pena lembrar sempre...

domingo, 11 de setembro de 2011

Malandragem

Cazuza e Frejat

Quem sabe eu ainda
Sou uma garotinha
Esperando o ônibus
Da escola, sozinha...
Cansada com minhas
Meias três quartos
Rezando baixo
Pelos cantos
Por ser uma menina má...
Quem sabe o príncipe
Virou um chato
Que vive dando
No meu saco
Quem sabe a vida
É não sonhar...
Eu só peço a Deus
Um pouco de malandragem
Pois sou criança
E não conheço a verdade
Eu sou poeta
E não aprendi a amar
Eu sou poeta
E não aprendi a amar...
Bobeira
É não viver a realidade
E eu ainda tenho
Uma tarde inteira
Eu ando nas ruas
Eu troco um cheque
Mudo uma planta de lugar
Dirijo meu carro
Tomo o meu pileque
E ainda tenho tempo
Prá cantar...
Eu só peço a Deus
Um pouco de malandragem
Pois sou criança
E não conheço a verdade
Eu sou poeta
E não aprendi a amar
Eu sou poeta
E não aprendi a amar...
Eu ando nas ruas
Eu troco um cheque
Mudo uma planta de lugar
Dirijo meu carro
Tomo o meu pileque
E ainda tenho tempo
Prá cantar...
Eu só peço a Deus
Um pouco de malandragem
Pois sou criança
E não conheço a verdade
Eu sou poeta
E não aprendi a amar
Eu sou poeta
E não aprendi a amar...
Quem sabe eu ainda sou
Uma garotinha!

video
Uma das melhores músicas na melhor voz da melhor intérprete.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Roda Gigante Emocional

Tenho vivido períodos de altos e baixos emocionais. Hora estou ultra animada, cheia de planos e esperanças e em seguida perco totalmente a motivação, a vontade, o tesão... Antes que alguém se aventure a nominar esse meu sobe e desce de TPM ou menopausa, já digo que não é o caso. Infelizmente não conheço o nome do que sinto e nem acho que seja importante o nome. O que importa é que estou aprendendo a conhecer esses estágios e buscando formas de sobreviver a eles.
O mergulho emocional tem a ver com situações estressantes, com decepções pessoais, com sobrecarga de trabalho e emocional, com situações que não tenho como controlar. Quando consigo organizar as coisas de maneira mais confortável, quando consigo um pouco de compreensão e de tempo para mim e para refletir, tudo melhora.
Meu corpo também está sensível a essa instabilidade, tenho sentido dores de cabeça quase diárias, azias, dores de coluna e nas pernas. Tenho comido mal e não tenho feito exercícios físicos regulares. Tenho sentido muita falta de nadar. Natação sempre foi a maior válvula de escape para mim.
Preciso reagir... Preciso fazer alguma coisa...Preciso sobreviver...