terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Esperança

Mas 2012 tá aí, e tudo tem que melhorar!
Feliz ano novo!

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Pense diferente

"Ninguém quer morrer. Mesmo as pessoas que querem chegar ao Paraíso não querem morrer pra estar lá. Mas, apesar disso, a morte é um destino de todos nós. Ninguém nunca escapou. E deve ser assim, porque a morte é provavelmente a maior invenção da vida. É o agente de transformação da vida. Ela elimina os antigos e abre caminho para os novos". Steve Jobs
 

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Superman e Lois

video 
Uma das cenas de filmes inesquecíveis para mim
Este foi um dos primeiros filmes que vi no cinema (sou do século passado!). E esta cena emocionou todo mundo no antigo Cine Excelsior de minha cidade! Nunca esqueci a cena, os atores e o filme...
Vale a pena lembrar sempre...

domingo, 11 de setembro de 2011

Malandragem

Cazuza e Frejat

Quem sabe eu ainda
Sou uma garotinha
Esperando o ônibus
Da escola, sozinha...
Cansada com minhas
Meias três quartos
Rezando baixo
Pelos cantos
Por ser uma menina má...
Quem sabe o príncipe
Virou um chato
Que vive dando
No meu saco
Quem sabe a vida
É não sonhar...
Eu só peço a Deus
Um pouco de malandragem
Pois sou criança
E não conheço a verdade
Eu sou poeta
E não aprendi a amar
Eu sou poeta
E não aprendi a amar...
Bobeira
É não viver a realidade
E eu ainda tenho
Uma tarde inteira
Eu ando nas ruas
Eu troco um cheque
Mudo uma planta de lugar
Dirijo meu carro
Tomo o meu pileque
E ainda tenho tempo
Prá cantar...
Eu só peço a Deus
Um pouco de malandragem
Pois sou criança
E não conheço a verdade
Eu sou poeta
E não aprendi a amar
Eu sou poeta
E não aprendi a amar...
Eu ando nas ruas
Eu troco um cheque
Mudo uma planta de lugar
Dirijo meu carro
Tomo o meu pileque
E ainda tenho tempo
Prá cantar...
Eu só peço a Deus
Um pouco de malandragem
Pois sou criança
E não conheço a verdade
Eu sou poeta
E não aprendi a amar
Eu sou poeta
E não aprendi a amar...
Quem sabe eu ainda sou
Uma garotinha!

video
Uma das melhores músicas na melhor voz da melhor intérprete.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Roda Gigante Emocional

Tenho vivido períodos de altos e baixos emocionais. Hora estou ultra animada, cheia de planos e esperanças e em seguida perco totalmente a motivação, a vontade, o tesão... Antes que alguém se aventure a nominar esse meu sobe e desce de TPM ou menopausa, já digo que não é o caso. Infelizmente não conheço o nome do que sinto e nem acho que seja importante o nome. O que importa é que estou aprendendo a conhecer esses estágios e buscando formas de sobreviver a eles.
O mergulho emocional tem a ver com situações estressantes, com decepções pessoais, com sobrecarga de trabalho e emocional, com situações que não tenho como controlar. Quando consigo organizar as coisas de maneira mais confortável, quando consigo um pouco de compreensão e de tempo para mim e para refletir, tudo melhora.
Meu corpo também está sensível a essa instabilidade, tenho sentido dores de cabeça quase diárias, azias, dores de coluna e nas pernas. Tenho comido mal e não tenho feito exercícios físicos regulares. Tenho sentido muita falta de nadar. Natação sempre foi a maior válvula de escape para mim.
Preciso reagir... Preciso fazer alguma coisa...Preciso sobreviver...

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Coisas da Vida - Rita Lee

video

 

Coisas da Vida

Rita Lee

Quando a lua apareceu
Ninguém sonhava mais do que eu
Já era tarde
Mas a noite é uma criança distraída
Depois que eu envelhecer
Ninguém precisa mais me dizer
Como é estranho ser humano
Nessas horas de partida
É o fim da picada
Depois da estrada começa
Uma grande avenida
No fim da avenida
Existe uma chance, uma sorte
Uma nova saída
São coisas da vida
E a gente se olha, e não sabe
Se vai ou se fica
Qual é a moral?
Qual vai ser o final
Dessa história?
Eu não tenho nada pra dizer
Por isso eu digo
Que eu não tenho muito o que perder
Por isso jogo
Eu não tenho hora pra morrer
Por isso sonho

terça-feira, 23 de agosto de 2011

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Tudo Bem - Lulu Santos


Já não tenho dedos pra contar
De quantos barrancos despenquei
E quantas pedras me atiraram
Ou quantas atirei
Tanta farpa tanta mentira
Tanta falta do que dizer
Nem sempre é "so easy" se viver
Hoje eu não consigo mais me lembrar
De quantas janelas me atirei
E quanto rastro de incompreensão
Eu já deixei
Tantos bons quanto maus motivos
Tantas vezes desilusão
Quase nunca a vida é um balão
Mas o teu amor me cura
De uma loucura qualquer
É encostar no seu peito
E se isso for algum defeito
Por mim tudo bem
tudo bem

sábado, 20 de agosto de 2011

Em nome da sanidade!

Preciso dormir até os olhos abrirem e não pensar em nada por pelo menos 2 minutos!


sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Saco cheio

Tô de saco cheio! De saco de cheio de sempre entender todo mundo, de ouvir todo mundo, de resolver um monte de coisas que ninguém vê ou fala ou comenta ou procura saber.
Tô de saco cheio de ser racional de ser compreensiva de ser responsável de ser uma boa menina.
Cansei, cansei, tô cansada.
Preciso que alguém me olhe e saiba o que eu gosto o que eu quero e que não tenha que perguntar.
Quero que as pessoas se coloquem no meu lugar, pelo menos um pouco, e se esforcem para entender minhas razões.
Preciso de um tempo, pra lamber as feridas, pra cicatrizar a alma, pra recarregar as baterias, pra dormir sem pensar, pra pensar sem pensar pra rir de bobeira e chorar sem motivo.
Preciso voltar a ser leve, preciso jogar fora essa carga toda.
Não quero mais ser eu, não quero mais fazer as coisas que eu faço, não quero mais agir como eu ajo. Para o mundo, eu quero descer.
Eu não agüento mais e eu não quero mais agüentar.
Não quero sofrer, não quero chorar, não quero cansar. Quero apenas ficar aqui paradinha sem nenhum compromisso, nenhuma cobrança, ninguém, nada...
Quero cruzar os braços, quero não ter hora marcada. Quero deixar as coisas se resolverem sozinhas ou não.
Quero não precisar de nada e não sentir mais nada. Quero o vácuo, o vazio, o não ser...
Não quero mais nem menos. Simplesmente não quero.
 

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

O risco de ter expectativas!

Sabe quando você vai assistir um filme que é super recomendado por todos os conhecidos e a crítica e no final você sai do cinema com aquela sensação de "é só isso?".
Ultimamente tenho sentido muito essa sensação... Não em relação a filmes (ou apenas a eles) mas também em relação às pessoas e suas atitudes. Acho que na verdade minhas expectativas é que estão num patamar acima da realidade. E, na boa, ninguém tem obrigação de corresponder às minhas expectativas. As pessoas são como são! E cada um sabe os motivos de suas atitudes, mesmo as mais inesperadas e contraditórias. Se estão certos ou errados, é outra estória. Ninguém é obrigado a acertar sempre. Nem eu, nem você, ninguém. Quando a gente aceita isso é mais fácil aceitar todo o resto que é conviver em sociedade.
Quando uma atitude de outra pessoa nos magoa de alguma forma, só vale a pena tentar entender se a pessoa vale a pena pra gente e se valemos a pena pra pessoa. Se for alguém que está apenas de passagem, o tempo se encarrega! Em resumo  decidi não alimentar expectativas, assim se decepcionar é mais difícil. Não falo isso com tristeza, de verdade! É uma simples constatação.






quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Amigos...Sorte de quem tem!

Homenagem aos meus amigos...

sábado, 23 de julho de 2011

Amy Wynehouse... Que pena...

"Nós apenas dissemos adeus com palavras
Eu morri uma centena de vezes
Você volta pra ela
E eu volto ao
Nós apenas dissemos adeus com palavras
Eu morri uma centena de vezes
Você volta pra ela
E eu volto ao luto." (trecho de back to black)
Vários sites(G1, último segundo) noticiaram a morte dessa cantora fantástica, talentosa....
Um poço de talento e vícios. Seu talento a eterniza... Paz a Amy...

quinta-feira, 14 de julho de 2011

É só uma fase!

Acho que às vezes a gente passa por algumas situações difíceis, mas no final das contas as coisas acabam dando certo, ou no mínimo se acomodam. Esses últimos meses me fizeram repensar minha vida profissional. Cheguei a conclusão de que preciso mudar alguma coisa, preciso de uma nova trajetória, por que como dizia minha mãe o caminho que estou trilhando é bananeira que já deu cacho.
Mas como é difícil abrir mão das conquistas! Tenho um emprego estável, um salário razoável pela função desempenhada e a um ano atrás, se me perguntassem, diria que gosto muito do que faço,  mas hoje, se me perguntarem, respondo que cansei do que faço, não tenho mais motivação, não quero mais me aperfeiçoar, enfim, perdi o tesão... Com a função E com a empresa em que trabalho.
Qual a solução? Eu sei, partir pra outra, caçar rumo... Mas dá uma preguiça... Eu tenho 12 anos de empresa, 9 de chefia. Alguns benefícios bacanas, mas tem muito tempo não me sinto motivada, afinada com a direção da empresa. O problema de partir em busca de outros desafios é que neste momento estou com algumas limitações: 1)geográfica (filhos adolescentes, mãe dependente de cuidados) - não posso sair da minha cidade; 2)qualitativa (preciso me atualizar na minha área) - falta tempo (trabalho, família ocupam a maior parte do meu dia); 3)psicológica (abrir mão de suas conquiatas) medo do desconhecido.
Então o que fazer? Continuar nessa? Se jogar? Resolvi me dar um tempo, não muito... pra pensar, repensar e tomar uma decisão (É tão difícil decidir!). Até junho do ano que vem preciso de uma resposta. Até lá eu aguento...

segunda-feira, 20 de junho de 2011

domingo, 22 de maio de 2011

Outra coisa que eu detesto nas pessoas...

Ultimamente minha tolerância está em próxima do limite minimo aceitável. Inclusive para rodeios. Por isso, indo direto ao ponto, detesto pessoas que sofrem da síndrome de teletubbies (é assim que escreve?). Eu explico. Sabe aquela pessoa que chega para trabalhar de manhã, por quem você não tem a menor simpatia, e vira em sua direção com um sorriso burocrático e diz: "Oi pessoal!". Detalhe, mesmo se você estiver sozinho na sala a pessoa usará o termo "pessoal". Na hora de ir embora essa mesma figura diz: "Até amanhã pessoal!" Durante o dia a conversa é sempre pontuada com pérolas teletubinescas, do tipo: "Todos nós devemos nos unir em busca do melhor para nossa empresa", "Temos que trabalhar unidos!", "Vamos ser solidários e amigos!"...
Juro que a todo momento fico imaginando essa figura com um triângulo invertido na cabeça, vestida de roxo e dizendo: "Teletubbies dizem Oiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!" ou então "Tá na hora de dizer tchau!"
Não precisa ser grosso no dia a dia, mas também não precisa fingir que vivemos no reino do faz de conta. Já viu aquela propaganda? Doce na medida certa!
Enfim, tô mais pra Saraiva com tolerância ZERO!

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Qual é a sua atitude?

ATITUDE! Qual é a sua? Conformidade? Revolta? Acomodação? Aceitação? Negação? Afirmação?
Você tem atitude? O que é ter atitude? É agir de acordo com o momento? É ser como o amálgama e se moldar com ambiente? É transformar um obstáculo em facilitador? É transformar o ambiente inóspito em um paraíso? É uma mágica que faz com que tudo dependa apenas do que você faz e como você age? E se você errar? E se você tiver a atitude errada?
Tente acertar! Tente não magoar ninguém! Mas se errar, tente de novo! Se magoar, se desculpe! Essa é minha atitude!

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Uma das coisas que detesto nas pessoas.

Uma das coisas que mais detesto nas pessoas e quando você comenta com alguém uma situação difícil que passou e a pessoa saca do bolso uma situação que ela viveu e que na "abalizada" opnião dela foi muito mais difícil que a sua! Cara, a vida não é uma competição de qual problema é maior do que o outro. As vezes a pessoa só que contar alguma coisa pra outro e esperar que alguém simplesmente o escute e, se for possível com o bônus de se solidarizar...

domingo, 24 de abril de 2011

Isso aqui é FLAMENGO!!!!

EU, SOU RUBRO NEGRO COM MUITO ORGULHO COM MUITO AMOR!!!
Ok! Você pode não ser torcedor do Flamengo. Você pode não saber o que é jogar mal, perder dois de seus principais craques, contra um time mais motivado, e que começa o jogo ganhando, e ver o seu melhor jogador em campo perder um penalti e ainda assim ganhar o jogo! Ganhar no grito da torcida, ganhar na fé de uma nação, acreditar até o final! Mas não tem como não se emocionar quando o Diego Maurício, que é a cara e o cara do Flamengo, sai e em disparada e corre pra torcida comemorando. Você pode até achar esse post uma perda de tempo, mas isso aqui É FLAMENGO MERMÃO!!!

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Eu confesso...

video
Confesso que tenho um lado que você pode chamar de brega... Mas ADORO Benito de Paula!

domingo, 3 de abril de 2011

Carta pro meu Pai.

Nos últimos dias tenho sentido muitas saudades do você pai. Mais do que o normal. Nesses últimos quinze anos sem você não foram poucas as vezes em que senti falta do colo, do afago, do carinho, do amor, do abraço, do carinho, do sorriso, do ombro, da bronca, enfim... Não foram poucas as vezes que chorei de saudades. Os olhos marejam mesmo agora, escrevendo este texto! É difícil falar de e pra você pai. As lagrimas embaçam meus olhos e embotam minha mente. As lembranças vem caudalosas em minha mente, parecem um tromba d'água e quase me arrastam em seu curso.
Nenhum domingo é igual sem você assistindo futebol na sala de casa e reclamando do juiz, chamando o goleiro de arqueiro, os zagueiros de beques e o escanteio de corner. Me recordo com muita saudade do gosto do pão de queijo quentinho que você trazia para mim, e só para mim, quando chegava do trabalho. Lembro do seu cuidado ao preparar chás e bolsas de água quente quando eu me contorcia em meio às cólicas menstruais. Não me esqueço do sorriso das vendedoras das lojas de lingiere quando íamos juntos para comprar "porta-seios" para mim.
Sabe pai, eu te amei como eu sabia naquela época, e sempre me senti totalmente amada por você! Espero que você tenha sabido como você foi e é importante para mim.! Como você está presente em cada atitude minha! Com você eu aprendi que pra ser homem, não é preciso ser machista e que ser mulher não é sinônimo de fragilidade.
Do alto de seus 1,65 metros pai, você foi e é grande, como nenhum homem jamais vai conseguir ser.
Queria ter tido mais tempo com você, queria que você fosse o avô que meus filhos merecem, queria que você lhes contasse suas histórias de  futebol. como contou para mim...
Mas enfim,...
Eu realmente, pai quero que você saiba que sinto muito sua falta e que eu estou bem, estamos todos bem, apenas com muitas saudades... Não se preocupe com a mãe, eu estou cuidando dela da melhor maneira possível! É claro que o seu carinho e o seu cuidado iam tornar esta jornada bem mais fácil, mas eu estou fazendo o melhor que posso...
Dia 11 é seu aniversário! Continue cuidando de nós! Fique  bem! Te amo!
Obigada Deus pelo tempo que tivemos juntos...

segunda-feira, 21 de março de 2011

Bruninha Surfistinha - Um filme sobre a solidão

Esse fim de semana fui assistir o filme Bruna Surfistinha. E, no geral, achei um filme bacana. Super bem feito e a atuação dos atores foi bem legal, Débora Seco estava linda e seu trabalho é ótimo.
Mas antes de qualquer coisa, é um filme que fala sobre solidão. Durante  a projeção desfilam na tela diversas formas de solidão e solitários. As cenas picantes dominam a filmagem, mas é o que se pode esperar num filme sobre a vida de uma garota de programas, contudo, a história não se perde nisso.
Enfim, achei um filme legal, a história é triste, mas não é pedante. Além da Bruna Surfistinha a personagem principal, na minha opinião é a solidão. Recomendo!!!!

sábado, 5 de março de 2011

O carnaval chegou!


O carnaval, para mim e para outros tantos é sinônimo de ficar quietinha em casa, curtindo um filminho uma pipoquinha. Nunca gostei da folia. Não gosto nem de sair de casa nesses dias.
Mas não sou estraga prazere de ninguém. Se você curte, bom carnaval! Aproveite! Só não vale fazer xixi na rua, nem dirigir bêbado.
Se você, como eu fez a opção de descansar. Descanse bastante! Alguém aí tem uma boa dica de algum filme pra eu baixar? rsrsrsrs

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Ética e respeito!

É o mínimo necessário para se viver em sociedade! Olha, eu posso não gostar do batidão que você escuta, mas defendo com unhas e dentes o seu direito de gostar, apreciar e escutar, desde que você não prejudique meu sono, não interfira no som que eu escuto e não me obrigue a escutar junto!
Normalmente eu prefiro ir pra casa caminhando, mas nos dias em que estou cansada por qualquer motivo, uso o ônibus. E eu e todos os que pagamos a passagem temos direito a um transporte digno. Nem reclamo de, às vezes, ir em pé. Mas não acho digno ir apertada como sardinha em lata, sem segurança, sem ter onde segurar, com calor (o ar condicionado só existe na planilha de custo para determinar o valor da passagem...), conduzida por motoristas descuidados, que colocam minha segurança e de outros cidadãos em constante risco! Não me incomodo de pagar a passagem, desde que haja dignidade no tratamento do usuário.
Não me incomodo de pagar impostos, mas quero ter acesso a serviços que me tratem com respeito, que valorizem meu dinheiro, que se importem com meu bem estar. É inadmissível médicos que não olham na cara dos seus pacientes e os mandam para casa (muitas vezes para morrerem) por que não existem vagas em hospitais. É inadimissível policiais que despem à força uma colega de trabalho seja por qual motivo for (atentado ao pudor é o nome)! É inadimíssivel furar a fila no cinema, na padaria, no banco, no elevador, ou aonde for! É inadimissível um professor não respeitar uma aluna e fazer propostas de cunho sexual para a menina! É inadimissível um aluno não respeitar o professor ou qualquer outro funcionário da escola! É inadimissível não respeitar as diferenças, humilhar gordos, magros, gays, mulheres, homens,velhos, jovens, seres humanos, não quer ser amigo, não seja, mas respeite!
Temos que mudar a forma que nos doutrinaram a pensar. Precisamos respeitar o coletivo para ter paz individualmente. Precisamos rever nossa forma de conviver em sociedade. Precisamos olhar com um olhar ético as pessoas ao nosso redor.
Precisamos de ética, respeito e uma boa dose de cuidado e carinho com a nossa vida e com o outro e que com tudo que nos cerca.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Todo amor que houver nessa vida.

video
Meio sem inspiração pra postar, resolvi buscar ajuda naquele que sempre me inspirou muito!

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Degeneração Córtico-Basal - convivendo...

A velhice é uma época triste da vida! Pronto, falei.
Minha mãe agora já apresenta muita dificuldade para fala e deglutição e embora a gente ainda perceba que o cérebro dela reconhece as coisas e pessoas ao seu redor, fica a maior parte do tempo dentro da jaula que seu corpo se transformou. A tristeza que sinto de vê-la assim não tem como descrever, nem explicar. O sentimento de impotência e de desespero às vezes, me machuca, me deixa sem rumo, sem palavras, sem ação.
Queria muito poder guardar apenas as recordações boas da minha mãe. Preservar apenas os casos engraçados e os momentos de carinho e sabedoria que ela compartilhou comigo. Até as broncas, as brigas, a vida que vivemos e não a que sobrevivemos...
A doença dela trouxe pra mim uma solidão que não consigo dividir. Não uma solidão constante mas em momentos, quando me permito pensar e divagar sobre a injustiça disso tudo...
Cara! É foda!
É mais difícil de aceitar a situação quando não existe um porquê, uma forma de evitar...
Nesse momento acredito que ninguém consegue se preparar para ver as pessoas que ama envelhecerem. Não tem como se preparar para a decadência física, mental e psicológica daqueles que sempre foram o porto seguro de nossas vidas. Daqueles que sempre nos deram segurança e que a gente sabia que por pior que fosse a bronca, maior seria o amor!
Com sinceridade, não há uma fórmula para conviver com isso tudo! Acredito que se a gente que, vive essa situação, conseguir se manter saudável, física e mentalmente, alcançamos o objetivo principal de tornar o dia a dia o menos penoso possível para o doente e para as pessoas que convivem com ele.
De verdade, tô tentando!

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Tudo novo de novo... ou não...

Puxa vida tem um tempão que não apareço por aqui! Esse mês foi um pouco tumultuado, deu até pra dar uma fugidinha e curtir um pouco de praia (mineiramente, claro!)
Mas os melhor de tudo é que deu pra pensar (e repensar) muito sobre o ano que acabou. Então cheguei a conclusão que não vou mais ficar reclamando, vou continuar fazendo as coisas da melhor forma que for possível e o resto ... mera consequência.
Mudando radicalmente de assunto, que tragédia essa da região serrana do Rio né? Também na região sul, em São Paulo, sul de Minas, Goiás e Pará o povo sofreu muito nesse primeiro mês do ano.
Mas a verdadeira tragédia é vista quando olhamos para os gestores públicos. Não sei na cidade de vocês, mas aqui onde moro, pra onde olho vejo descaso com a cidade, com o dinheiro público, com a população. Ruas sujas, asfalto cheio de buracos, água de chuva acumulada em vários cantos, córregos imundos, trânsito caótico,paredes pichadas,  pedintes pela rua, doentes mentais pela rua, sem qualquer infra estrutura para os portadores de necessidades especiais (rampas, ônibus, respeito), agentes públicos que acreditam que são autoridades e se colocam em situação hierarquicamente superior aos seu patrão, o povo. E olha que normalmente eu só ando pelos bairros e ruas centrais, imagine nos bairros mais distantes.
Falta educação, falta saúde, falta cuidado, falta sobretudo RESPEITO.
RESPEITO ao povo que trabalha, paga impostos, sutenta este país e elege os governantes e representantes (voto com consciência gente!)
Quando as tragédias (ANUNCIADAS) enfim ocorrem, não há mais nada a fazer, a correria é inócua e os mortos se acumulam, as casas não mais existem, as vidas foram destruídas. Enfim a repercussão só é realmente negativa se a tragédia for realmente grande e nesses casos sempre se pode culpar o excesso de chuvas, o descontrole climático, a natureza, Deus.
O que mais incomoda é saber que logo estaremos falando em seca, dengue, e nos mesmos flagelos que assolam este país desde os tempos em que coronéis exploravam os negros em plantações de cacau, cana de açúcar e café, ou seja, desde sempre.

Em meio às centenas de imagens desoladoras sobre a tragédia nas cidades da região serrana do Rio de Janeiro, uma em especial chama a atenção. Um cão permaneceu ao lado da sepultura de sua dona, Cristina Maria Cesario Santana, que morreu em consequência da catástrofe que atingiu Teresópolis.
Caramelo vivia com Cristina e mais três pessoas. Todas morreram, mas o cão se salvou e ajudou os membros do resgate a localizarem os corpos.


Nada foi feito para evitar ou pelo menos reduzir as dimensões dessas tragédias, nada está sendo feito agora, nada será feito ao longo do ano (tomara que eu esteja errada!). E em 2012 estaremos, infelizmente, nos lamentando sobre as mesmas tragédias, as mesmas machetes. Só mudarão os dígitos e os nomes das vítimas.
Triste... muito triste.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Xô ano velho!

2010 foi pedreira! Meus amigos que o digam, por isso não vai deixaar saudades.
CLARO, houveram coisas boas, mas as ruins foram muito ruins. So Goodbye, eu  sobrevivi a você bad year! I´m foda! Ha!
Em 2011 quero continuar o que comecei de bom, minha relação com a prática esportiva. Quero correr, quero nadar e quero continuar a me alimentar bem. Quero mais! Quero tudo o que eu puder ter! 
Quero amar cada vez mais, quero as pessoas que amo perto de mim! Quero não deixar a vida me levar! Quero levar a vida como eu quiser e puder! Quero mais dinheiro, quero menos cobrança! Quero trabalhar menos, me divertir mais! Quero ir mais ao cinema, quero ouvir mais, falar menos! Quero curtir mais momentos e me preocupar menos com o futuro! Quero chorar mais, segurar menos! Quero rir mais! Quero comemorar mais! Beber mais! Ser menos contida, mais realista! Me magoar menos! Falar o que eu tiver que falar! Fazer mais amor! Fazer nada mais vezes! Cuidar mais de mim, de meus cachorros, de minha casa, de meus amores! Quero ignorar pessoas que não são importantes!
Quero ser menos boazinha, sempre verdadeira, sempre sincera! Quero agradecer aos meus amigos, ao meu marido, aos meus filhos!
Quero agradecer a vocês Du e Ted pela amizade, pela confiança, pelo amor, pela cumplicidade! Amo muito vocês! Obrigada!